O guitarrista Eduardo Lira lança na próxima terça (11), “Eight Billions Souls”, novo álbum de estúdio, quarto instrumental e segundo com a Sinfonica Records. Com participação dos tecladistas Wagner Cappia, William Tassi e Jonhatas Cherem e dos bateristas Rapha Harley e Andress Santos, Lira comanda o baixo e afirma que esse é o seu trabalho de mais peso.

“Esse é o segundo trabalho com a Sinfonica, um álbum mais intimista. Ele vem mais pesado, com mais riffs, afinação baixa, diferente de tudo que já fiz. Quem gosta de som pesado vai curtir. A razão de fazer algo mais pesado foi técnica e o clima que está rolando de medo da pandemia e incertezas, norteou bastante o trabalho. Ele está mais tenso, tem intervalos de escalas de melodias que são conflitantes”, afirma o guitarrista.

Para Lira, o momento mundial da pandemia da COVID-19 influenciou as dez faixas do novo trabalho. “No ‘Eight Billions Souls’ falo mais da raça humana; as faixas co-existem conceitualmente numa história sobre o que nos fez chegar até aqui. E lançamos o questionamento: ‘o que está acontecendo no planeta?’. Oito bilhões de almas é o número que vive em eterna mudança”.

Uma das atrações do álbum é a participação do renomado cientista Albert Einstein na faixa “Spiritual Manners”, com o áudio de um discurso feito por ele em uma universidade. “Einstein diz que não devemos usar a violência em nossa causa e que é importante não participar de tudo o que achamos ruim. É um discurso imbuído de conselhos, que resolvemos usar na composição”. 

Para ouvir o “Eight Billions Souls” acesse o canal oficial de Eduardo Lira no YouTube.